Projeto Caneta Vermelha

Não é a cor da tinta, é a cor do texto

Amor para Bárbara

Como eu te amo minha amora, minha baybezinha.

Como me doe vê-la dessa forma, o dia todo em prantos na frente desse computador ou telefone esperando que algo lhe caia do céu. Como é difícil ver você se acabando toda, é estranho ver que você ainda não consegue entender que crescemos que a vida é outra e que querendo ou não temos que enfrentar tudo e todos, temos que ser adultas. Como é dolorido perceber que você não consegue ver graça em nada neste mundo e odeia a tudo e todos.

Caem lagrimas de meus olhos quando você me retrata com doídas palavras seus desamores, pois sei que atrás de uma tela está você, aquela que tanto amo, me dizendo tudo que te aconteceu e está acontecendo, talvez na esperança que naquele sofrido relato sua dor amenize. Suas mazelas cada dia é maior e sinto que elas estão te consumindo cada vez mais. As vezes quando me dou conta, em apenas um dia, você está muito longe de mim e muita das vezes longe deste mundo, sei que tudo isso é pra tentar sentir menos dor ou pelo menos não sentir nada, mas bem sabemos que isso não adianta de nada, sabemos perfeitamente que isso não vai sarar a sua dor.

Sinto vontade de arrancar toda essa agonia essa dor de dentro de você com as minhas próprias mãos, pois sei o que sente, eu também sinto coisas assim, mas eu não consigo tirar isso de você, isso está fora do meu alcance está muito longe de minhas forças. Me sinto extremamente impotente ao vê-la se deteriorando toda e eu não podendo fazer nada para ajudá-la, para salva-la de tudo isso desse mundo onde você se meteu, onde a vida te conduziu e você não soube voltar.

Fico desnorteada a cada sms que recebo dizendo que deu errado novamente, que Deus deve odiar você… Me sinto um lixo por saber que tenho tantos problemas como você e que não consigo resolver nem os meus e quero dar jeito nos seus. Me sinto mal quando percebo que estou invadindo sua privacidade e falando o que deve fazer e muitas das vezes fazendo ameaças dizendo que vou dar tapas em sua cara, mas faço isso não pra ser chata, mesmo sendo, faço isso porque eu te amo muito e quero seu bem. Você bem sabe que sou sua irmã sua baybezinha que muito te da trabalho.

Vez ou outra você me reclama por estar distante e não lhe contar o que se passa comigo, mas você sabe que se eu te poupo de certas coisas é pelo simples fato de não querer te preocupar com as idiotices que constantemente faço.

Sei que este texto fico confuso e com um monte de erros de ortografia, mas espero que ele consiga exprimir o que eu estava sentindo quando escrevi essas singelas palavras. Espero que você entenda o que tentei dizer, por mais que as vezes palavras não são capazes de dizer sobre sentimentos, e se as palavras não são capazes quem dirá eu, uma reles mortal que não sei nada de nada.

Com todo amor e preocupação que sinto por você que término este.

P.S. espero que quando estivermos velhinhas vamos ler este bobo textinho e rir muito.

Patricia Miranda

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 10 de agosto de 2013 por em Cartas para amigas e marcado , , .
%d blogueiros gostam disto: